segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

2013

 
Venha 2013 estou te esperando...
Traga-me um coração melhor do que em 2012...
Que eu possa amar muito meus semelhantes. Amar a vida!
Vem 2013 traga-me a capacidade de perdoar mais...
Pois em 2012 eu apenas desculpei...
Vem 2013 e não deixe eu ofender ninguém...
Não deixe eu causar tristeza nos outros...
2013 transforme-me em uma pessoa melhor...
E que eu ame e respeite a todos sem distinção. Que aprecie mais o ar, o céu, o sol, lua... Animais, plantas...
Que eu caminhe em 2013 trilhando na humilde, esperança, serenidade, bondade e muitas virtudes.
Passe longe do meu coração sentimentos mesquinhos, preguiça, invejas, vaidades, ira, maldades e fofocas.
Que minhas palavras sejam de auxílio e não para denegrir alguém...
2013 venha e traga-me fé... Muita fé em DEUS, nos mentores de luzes. Com fé tudo venço senhor... Venço até a mim mesmo nos meus momentos tristes...
Em 2013 DEUS... DEUS em minha vida e na vida de todos...
Como meu amigo, Dr. Ademar me disse: NÃO EXISTE FELICIDADE SEM DEUS!
KHASSANDRA GREEN
Reeditado em 31/12/2012
Código do texto: T4061725
Classificação de conteúdo: seguro

Nasci do lixo...

 

 
Sim, não se espante... Do lixo nasci!
Pequeno, raquitico e frágil...
Meu suposto pai... Meses antes foi morto! Traficante, latrocida e muito mais...
Nasci dentro de uma cadeia... Fui liberto duas vezes... Uma ao nascer e a outra quando minha avó me buscou...
Minha mãe... Traficante! E lá ela permaneceu... Cumprindo pena do crime que cometeu...
Fui crescendo nem sei como... Com proteção de Deus! Não sei se em mim ela pensava...
Minha avó extrema pobreza, embriagada e um coração rasgado pela vida... Paciência não tinha... Amor não existia! Olha só o que me ensinava...
Pedir uma esmola alí outra acolá... Lembro das surras e castigo por ter trazido pouco dinheiro... De um você não presta para nada... Por que você nasceu!
Talvez tenha visitado minha mãe na cadeia. Eu não sei...
Um dia em casa ela chegou... Fiquei tão feliz! Ela nem me olhou...
E assim acompanhei-a vendo a vida que ela tinha... Homens que nunca vi, as mãos pelo corpo dela passava! Bebia... Chorava... Traficava... Apanhava! Deus que desespero, ela era minha mãe e não me amava!
Presa novamente, eu já estava com meus 11 anos finalmente... Olhando ao meu redor com lágrimas nos olhos pensei...
Que vida é essa sem vida! Caminhos que não quero pra mim! Do lixo nasci, mas posso escolher a vida que quero ter sim...
Percorrendo pelas ruas sozinho... Durmindo ao chão, com fome e frio... Confundido com ladrão, malandro, vagabundo... Um bandido!
Não eu não sou! Gritou meu coração! Pedi ajuda há muitas pessoas... Desconhecidos... Uns com olhar piedoso, outros com medo e uns até me achavam louco!
Um dia exausto de sofrer... Quase sem esperança... Vi uma casa grande toda iluminada... Fiquei alí assistindo pela vidraça coisa mais linda uma família reunida numa mesa jantando... Senhor pus-me a orar. Como é lindo um lar! Eu nunca tive isso senhor... E comecei a chorar! Quando percebi um homem aproximou do portão e disse-me “-Quer um prato de comida menino.”
E eu nem sei se fui eu que respondi ou algum anjo se alojou de mim...
“- Senhor... Quero vida! Arruma-me algo pra fazer em troca de comida... Prometo que não vai se arrepender!”
Destino não sei... Ele abriu o portão segurou-me pela mão... Deu-me comida, amor e vida... Família unida!
Tive um pai, uma mãe e irmãos... Nunca fizeram distinção...
Estudei, formei e virei doutor... Orgulho da família que me criou.
Um dia perguntei... Pai porque ficaste comigo?
Ele me disse “-No dia que te vi no meu portão, pensei que estava com fome... Que me custava lhe dar um pouco de pão! Mas sua sinceridade tocou fundo o meu coração... Voce estava com fome de amor... Fome de vida! Cansado da dor!”
O tempo passou... Homem feito! Em busca da minha mãe eu fui...
Precisava dar-lhe carinho e amor... Pois assim eu pensava se ela não sabe o que é amor, é porque nunca ninguém lhe ensinou...
E a velhice lhe chegou com tantas marcas que a vida lhe deixou...
Dei-lhe tanto amor. Cuidava-a com carinho e lhe dizia “-Mãe tu és minha flor! Eu te amo tanto”
E ela respondia... “- Como podes me amar se nunca te dei amor?”
E os anos foram passando... e um dia ela me disse... “- Filho eu te amo tanto... Hoje sei o que é o amor... Como pude viver tanto tempo sem ti... Vejo que não tinha vida! Pois minha vida era você!”
E eu... “-Mamãe... Eu te ensinei a me amar!
Hoje tenho uma grande família... Pai, duas mães, irmãos, sobrinhos e esposa... Filhos meus... E filhos que a vida escolheu pra mim.
Pergunta-se: “ -Tudo tão perfeito? Não tem problemas?”
Tenho mil problemas... Mas também tenho mil amores para superar mil problemas!
Uma mão com amor pode mudar uma vida... Do lixo nasci... E fiz do lixo o luxo de ler as linhas do coração! Entender a dor do meu irmão... Ninguém gosta de sofrer!
Agradeço ao meu pai que abriu o portão... não só da tua casa, família e sim da tua alma e do teu coração!
A vida não escolhe a vida que iremos ter... A escolha é nossa!
 
 
KHASSANDRA GREEN
Código do texto: T4060088
Classificação de conteúdo: seguro

domingo, 23 de dezembro de 2012

Uma lembrança...

 

Quando eu era adolescente adorava versos, poesias, mensagens...
Escrevia cadernos e cadernos todo enfeitados de flores, borboletas e corações...
Recheado de sonhos! Com o encantamento de uma certa ingenuidade!
Cheio de cores... Emoções...
Um deles era assim:

"Se um dia sentires o que senti... Não faças como eu fiz! Não chores lágrimas que chorei... Pois tudo na vida muda e eu mudei..."

Achava lindo... Era adequado para minhas paixões platônicas... Mas o real significado aprendi ao longo do tempo... Hoje machucada pela vida: EU MUDEI! Mudei tantas vezes que já nem sei quem eu sou! Mudei pra não mais sofrer... Mudei pra me proteger! Mas nunca deixei de amar!

Havia um outro tão docinho...
“Se o teu coração amasse o meu coração... Como o meu coração ama o teu coração... Seríamos dois corações num só coração! Não é coração?”

E ao longo dos anos carreguei esse versinho dentro de mim... E amei muito as pessoas... Meus colegas de trabalho, de colégio, do bairro... Meus parentes... Era um lema: amando serei amada... O amor é união de corações... Seríamos dois, quatro... cem...mil... corações num só!
E agora? Será que amei sozinha?

Agora esse era tão profundo...
“Nunca digas que esqueceu um grande amor... Digas apenas que consegue falar nele sem que tuas lágrimas invadem teu olhar!”

Hoje sei o valor desses versos... Tem pessoas que não se esquecem... Muitas... Pois levo a sério as amizades... Amo de verdade!
Muitos estão longe... Muitos já desencarnaram... E eles nem sabe o quanto amo-os...
E nem sabe que ao tocar no nome...Ou a simples lembrança... Meus olhos carregam de lágrimas... Lágrimas de amor... Lágrimas de saudade!

São versos que nunca esqueci... Amor que tenho pelas pessoas que um dia tive o privilégio de conhecer e conviver... Amigos (as), parentes, pai e mãe... Amores correspondidos... Amores platônicos... Meus animais... Minhas plantas...
Um dia direi: Passei pela vida... Passei amando... O amor é a força da alma! Minha vida não foi em vão! Eu vivi com paixão!
 
KHASSANDRA GREEN
Código do texto: T4050518
Classificação de conteúdo: seguro

A mágoa...

Com palavras tu me feres a alma...
Feridas profundas e latejantes!
Palavras que me magoam...
Pois conheço meu coração e sei que nunca lhe fiz mal algum!
Mágoas que me corrói feito ácido o meu ser!
Estás muito ocupado em tua redoma de vidro...
Meu coração está sangrando...
Teu orgulho não permite olhar em meus olhos...
E me enxergar como realmente sou...
Eu sou feita da simplicidade e do amor!
Um amor tão puro... Esse amor que lhe dou!
Não é amor carnal e sim de alma... Um amor lindo fraternal!
Tire essa venda da arrogância de teu olhar...
Se entregue ao verdadeiro... Sou suave como o beija-flor!
Não tenho veneno de serpente... Minh’alma flui amor...
Suas palavras me magoaram profundamente...
Uma dor persistente!
Talvez se fosse outra pessoa não me magoaria tanto assim...
Mas foi você! Você pessoa que amo incondicionalmente!
Que admiro! Que tem grande importância no meu viver!
Você considerado um anjo como pode me ferir assim?
É porque não me conhece verdadeiramente... Não sabes nada de mim...
Não sabes nada das minhas lágrimas... Meu sofrer...
Não sabes que meu coração toda a noite ora por ti...
Que DEUS lhe proteja e que MARIA lhe cubra-o com o manto sagrado...
Tu não sabes de nada... E nem nunca quis saber!
E agora também já é tarde... Coração tão magoado... Sem forças!
Não quero te provar nada! Apenas...
Um dia a velhice vai chegar e com certeza perceberás...
Que o anjo da história não foste tu... É eu sim... Um anjo invisível em tua vida!
E quando esse dia chegar... A vida já passou e você me perdeu...
Mas seja nesta vida ou na outra sempre irei pedir a DEUS pra cuidar de ti...
Pois o meu olhar você nunca mais irá ver!
Palavras ecoadas da boca da pessoa que a gente ama... Que machucam! São mágoas que carregamos para a eternidade!
Você não desbravou meu coração! Não me conhece... Por isso você me magoou!

KHASSANDRA GREEN

Enviado por KHASSANDRA GREEN em 23/12/2012
Código do texto: T4050337
Classificação de conteúdo: seguro

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Mãe, feliz aniversário...

Mas não tenho presentes... Tenho amor e a saudade!
Tenho tristeza de nunca ter tido condições financeiras para lhe dar um conforto...
Aqui dentro de mim está tudo bagunçado... Não fui forte pra voltar à vida por inteira... Mãe eu vivo em pedaços... Pois o pedaço que me completava em felicidade eras tu.
Vivo de lembranças, pois o presente e o futuro sem ti é tão vazio e sem graça!
Mas não perdi meu sorriso... Trilho nos seus ensinamentos... Tenha sempre um sorriso para teu próximo ele não tem culpa da tua dor.
Não tenho nada pra lhe dar... Poderia levar flores no teu túmulo, uma vela e até essas lágrimas que teimam em fluir... Poderia... Mas a senhora vai estar lá?
Lembro que a senhora dizia faz em vida, pois depois que eu morrer não adiantará mais...
Então o que posso fazer?
Uma oração?
Eu estou confusa... Coisas materiais a senhora não vai usar... Tipo uma roupa, sapato, utensílios de cozinha ou até um jantar... Não tenho nada para lhe dar...
Tenho esse amor... Tu sentes? Esse amor inexplicável... Um amor que ultrapassa a barreira da morte... Um amor que te mantém viva aqui pertinho de mim...
Um amor que me faz caminhar nos teus ensinamentos... Nunca fazer nada de mal a ninguém, ser justa, honesta e amar as pessoas sem distinção.
Passaste pela vida semeando bondade, nunca vi negar ajuda a alguém.
E eu tenho tanta saudade de ti... Mas sei que estás comigo. E eu vivo assim... Durante o dia com meus filhos e as pessoas que amo... E a noite eu fico com a senhora. Todas as noites sonho contigo e isso é um presente de DEUS pra mim. As noites eu estou contigo mãe.
Então eu não tenho nada pra lhe dar... Passei apenas pra lhe dizer que pra sempre vou te amar... Pois espíritos são eternos e o amor também!
Feliz aniversário minha mãe, guerreira... Também nasceu no dia de Santa Bárbara!

KHASSANDRA GREEN
Enviado por KHASSANDRA GREEN em 04/12/2012
Código do texto: T4019070
Classificação de conteúdo: seguro

domingo, 12 de agosto de 2012

Olá, meu tio Antonio Green!

 

Depois de algum tempo te escrevo. Podes perguntar, por que o motivo que somente agora?
Pode até pensar que não pensei em ti...
Mas a realidade é que doeu muito sua partida! E neguei-me tocar no assunto.
Não que não doa hoje... Dói sim! Uma saudade...
Eu adorava sua companhia... Pra mim era um homem especial.
Mesmo doente lutou muito, pois amava a vida e tua família.
Parecia frágil, mas era forte! Muito forte para aguentar os reveses da vida!
Eu te amo, pois é meu sangue, nunca fez pouco de mim, sempre me tratou muito bem.
Eu te amo, porque tinha um coração bom, era alegre e com suas piadas fazia-me rir!
Hoje sei que na outra vida, aquela que acredito, após a morte... Minha avó Madalena e meu avô Guilherme devem estar muito felizes com todos os filhos reunidos.
E quando eu aí chegar quero ver todos e abraça-los. E sentar em um lugar contigo meu tio, sem as preocupações tão em vão daqui da terra, e ouvi-lo contar suas histórias e piadas.
Eu acho que voltei uma vez ou duas em tua casa, saudades da tia que embora não saiba amo também, pois é uma mulher guerreira, digna e maravilhosa mãe.
Porém tio, voltar lá e entrar na casa e não vê-lo, dói muito. Olhar em volta poder até senti-lo, mas não vê-lo... Sentar lá fora, naquele banco. E depois quando era hora de ir embora escutá-lo falar que era a ultima vez, nem sempre foi à última vez... Mas teve o momento que foi a última vez... Voltar chorando um bom pedaço do caminho.
Tio dói demais...
E não é justo ter dor ao lembrar-se de uma pessoa que me fazia sorrir.
Quando vou a Borborema, vou te vê-lo. Sei que é apenas um tumulo com foto, mas penso vai se ele me vê... Certamente saberás que não o esqueci, e que aqui dentro de mim o amor pelo senhor é o mesmo acompanhado com muita saudade.
Tio, eu estou estudando sobre espiritismo e psicografia... Assim pensei... Essa é uma psicografia daqui pra lá... Pois não entendo essa “frescura” de o telefone só tocar de lá pra cá... De permissões... Até parece que lá é uma prisão. Oras se morremos para nós libertar, porque de tantas proibições. E mesmo não sabendo de nada, não entendo nada eu acho que o senhor vai ler minha mensagem, fiz com amor e acho que a única coisa que consegue atravessar a barreira vida-morte é o amor.
E que Deus te acolha, cuide-o e proteja-o. Quando for a hora nos veremos, pois estar junto acho que estou a todo o momento contigo e todos os meus. Com amor de sua sobrinha.
 
KHASSANDRA GREEN
12/08/2012 - Código do texto: T3826703
Classificação de conteúdo: seguro

O TEMPO E MEUS SONHOS...

 


Não sei se foi esse ar gélido desta manhã, mas meus pensamentos voaram ao passado... Uma saudade talvez!
Lembrei das escadarias do colégio em que eu estudava... A infância cheia de fantasias, sonhos e inocência. Pensei no tempo... O tempo e os sonhos... O tempo não espera o dia de ontem jamais voltará.
E minha tímida infância foi passando como o subir dos degraus daquele colégio... Quando percebi estava na adolescência outros sonhos... Uma adolescência marcada por perdas... Porém não perdia a capacidade de sonhar... Amar é viver! Chorar por coisas tolas e enfrentar os grandes problemas com determinação.
O tempo... Qual um piscar de olhos... E lá se vem à vida adulta... E com o tempo a maioria dos sonhos se foi. Alguns eu tenho os até hoje... Outros ficaram perdidos pelos degraus da vida semelhantes aos degraus das escadarias do Colégio Imaculada Conceição (CIC).
O tempo e os sonhos... O tempo encarrega de distanciar eu dos meus sonhos... Quando menos percebi já tinha esvoaçado tal como paina ao vento...
Não persegui meu sonho, não corri atrás na mesma velocidade que o tempo se foi... Mas muitas vezes para conseguir realizá-los não dependia somente dos meus esforços, há coisas que não se encontra em minhas mãos.
E assim vi o tempo passar diante de meus olhos, não corri atrás de meus sonhos... Esperei eles voltarem... Como esperei! E eles nunca mais voltaram tal qual o tempo passado nunca mais voltou... E assim troquei meus sonhos... Muitos já tão esquecidos... Outros não eram tão importantes... Alguns eu guardo no fundo de minha alma acalentado pelo calor do meu coração!
E vi que o tempo é importante, ele não para... E passei a valorizá-lo... Um segundo gasto não voltará mais... Analisando é assustador! E gastei minutos, horas, dias, meses anos e anos em vão!
Uns dizem que tudo que se vive não é em vão... Concordo em partes, tudo que me faz feliz e não prejudica meu próximo não seria em vão. No entanto gastar o tempo sem fazer nada de bom nem pra si e nem ao seu próximo é um tempo perdido... Fazer do seu sonho as lágrima do teu próximo é esfarelar o tempo. O tempo é implacável!
Espero que não tenha podado sonhos dos outros... Deus me perdoa caso tenha feito algo de mal ao meu próximo...
O tempo... O sonho... E aquela menina das escadarias passou as fases... Hoje com os anos da idade... Cabelos brancos insistem brigar com uma tintura qualquer... Umas rugas pesam na face... Que saudade daquela menina que fui eu tinha os maiores tesouros do mundo o carinho de meus pais...
Mas não importa minha idade, não perderei a capacidade de sonhar... São os sonhos que me dão força para vencer o tempo! São os sonhos garante a minha vontade de viver...
Sonhar não quer dizer que eu viva com os pés nas nuvens... Sonhar com os pés no chão e o coração em DEUS!
Sonhar com Deus à frente e passar pelos degraus da vida com suavidade... O que eu não realizei com certeza não era para ser...
Minha capacidade de sonhar o tempo não conseguiu acabar... Sonhos desfeitos são pedaços de vida que vivi... Experiência!
O tempo me levou o que eu tinha de mais importante... Não eram coisas materiais! Eram humanos! Meu pai, mãe e marido! Ao vê-los no ataúde percebi que tudo que havia sonhando estava sendo enterrado com eles... Sim... O sonho, o tempo, o amor... Sonho que não tem amor... Não é sonho! E o tempo me fez esquecer que um dia havia sonhado...
Mas novamente vêm pessoas... Meus filhos! E eu olho naqueles olhos esperançosos dos meus filhos adolescentes, que um dia eu também fui e penso: eles têm sonhos! Vou sonhar junto com eles... Pois o tempo passa rápido... E não perdoa!
E... Volto a caminhar os degraus daquelas escadas na minha imaginação. E desculpa-me o tempo descobri que o desperdicei com coisas parvas... Deus me deu uma natureza de infinita beleza, para que naqueles momentos que eu nada tenho a fazer irei contemplar as flores, o cantar dos pássaros e a suavidade do vento... E aproveitar o tempo com coisas boas: sonhar e amar!
 
KHASSANDRA GREEN 
27/10/2011 - Código do texto: T3301783
Classificação de conteúdo: seguro

Setembro

 

Quando setembro vier,
Estarei longe desse lugar.
Do sofrimento vou esquecer,
Olhando as ondas do mar.
Quero somente viver,
Feliz a te esperar!
Chorar será de saudade...
Desse infinito amar,
Que é pura sinceridade!
Setembro vai chegar,
A primavera em meu coração...
Irá florir de felicidade,
Dessa linda paixão!
Do virtual à realidade...
Dizem que agosto,
mês do desgosto!
Pra mim é de mudança...
Setembro é esperança!
KHASSANDRA GREEN 
21/08/2007 - Código do texto: T617567
Classificação de conteúdo: seguro

ANALGÉSICO

Meu coração dói nas madrugadas... É a saudade que sinto de ti!
Você é meu analgésico eficaz!
Ao teu lado minhas madrugadas são indolores...
Repleta de carinho, amor e paz!
KHASSANDRA GREEN
20/04/2008 - Código do texto: T953827
Classificação de conteúdo: seguro

Qual a flor mais bela?


Vejo um lindo jardim,
Com muitas variedades de flores,
E me indago assim:
Qual a flor mais bela?
Margarida, violeta ou hortência?
Flores do campo, goivo, cymbidium...
Rosa, papoula ou acácia?
Maravilha, beijo, oncidium...
Delfino, perpétua, gloriosa ou cáspia?
São muitas! Mas, qual é a mais bela?
A mais bela és tu: MINHA MÃE!
Flor de maio, crisântemo ou dália?
Gladíolo, tango, lisianto... Torênia...
Orquídea, girassol ou magnólia?
Gipsofila, gérbera, zínia... Gardênia?
Azaléia...
A mais bela és tu: MINHA MÃE!
Caminho entre as flores,
E em vão tento escolher...
Dama da noite, jasmim ou peônia?
Cravina, lobélia-azul ou áster?
Tulipa, onze-horas ou petúnia?
Amor perfeito!
MINHA MÃE!
Miosótis, bem-casados, jacinto... Begônia?
Quaresmeira...
Érica, pingo-de-ouro, hibisco... Helicônia?
Espirradeira...
Narciso, papoula e até boca de leão!
Flor de laranjeira...
A mais bela és tu: MINHA MÃE!
Que habita no jardim do meu coração!
E ainda vejo dentre os muitos canteiros,
Chuva de prata, copo-de-leite, lírio,
Gerânio, cravo, Amarílis, russélia...
Vitória-régia, íris, antúrio,
Gota-de-orvalho, lavanda, bromélia...
Gérbera, angélica, estrelítzia!
Açucena...
Qual é a mais bela?
A mais bela dentre todas as flores?
És tu: MINHA MÃE!

KHASSANDRA GREEN 
07/10/2008 - Código do texto: T1216417
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O ORGULHO

Muitas vezes ao falarmos dos sentimentos demonstramos sinais fraqueza...
O orgulho dá a sensação de sermos fortes...
E assim perdemos a chance de alcançar a felicidade!
O orgulho machuca a alma, destrói vidas e sangra corações...
Mas por qual motivo sofrer? Caminhando descalço nas pedras do orgulho?

Deixa fluir... Fale dos sentimentos...
Seja ele qual for... Seja de frustrações...
De amor... Arrependimento ou até de dor!
Alegrias, magoas e paixões!
O orgulho enrijece o coração...
Cega o olhar... Mata o amor!

Orgulhar-se somente de coisas boas...
Ter orgulho de amar de verdade...
Ser honesto e fazer bondade!
Amar o próximo, ter fé e amizade...

No dicionário: Orgulho é:
Conceito exagerado que alguém faz de si próprio.
Então que seja um conceito direcionado para o bem.
Não utilizá-lo de forma egoísta... Causando dor a si próprio e aos outros...

Deixe rolar as lágrimas de seu coração!
Deixe a alegria sorrir aos teus lábios...
Demonstre sentimentos...
Demonstre amor... Paixão!
KHASSANDRA GREEN
09/08/2012 - Código do texto: T3821637
Classificação de conteúdo: seguro

terça-feira, 5 de junho de 2012


...quando fui feliz?

Quando eu encontrava seu olhar e via neles o quanto me amavas...
Como fui feliz!
 
 
 KHASSANDRA GREEN
 01/06/2012
Código do texto: T3699983

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Um lindo céu para os animais...



Devera ter um céu para os animais, talvez o mesmo céu onde as pessoas que não fazem mal ao seu próximo um dia ficaram após a morte!

Sim... Deve ter um lindo céu aos animais...

Animais que alegram a vida da gente quando estamos tristes!
Animais que são amigos leais...
Animais que são enviados por Deus para ser companheiros e não nos deixar sozinho!

Sim... Deve ter um lindo céu para os animais...

Animais que nos amam de verdade...
Animais que rápido nos perdoa se por acaso nós perdemos a paciência com eles...
Animais que nada querem da gente a não ser nosso afeto...

Sim... Deve ter um lindo céu para os animais...

Animais que nos fazem rir por pequenas travessuras...
Animais que nos socorrem a frente quando sente que nos estamos em perigo!
Animais que muitas vezes dão suas vidas pelas nossas...

Sim... Deve ter um lindo céu para os animais...

Deus meu Deus se criaste um animal é sinal que o senhor também os ama assim como eu amo os meus... Assim como amo Bruninho, Paulinha e Branquelo...
Então senhor meu DEUS da justiça, do amor... Quem matou meus gatos tão indefesos, com tamanha covardia e crueldade com certeza o senhor sabe... Pois eu simples mortal não sei... Apenas dói!
Dói muito, pois penso que esse ser deve ser demoníaco e extremamente covarde.
Covarde é aquele ser que abusa dos fracos e indefesos como o caso de meus gatinhos.
Tenho nojo e pena de seres assim com pouco cérebro e sem coração.
Até os vermes tem sua função no mundo e tem seres que alem de não ter função nenhuma, possui uma alma ruim e estraga a felicidade dos outros por pura inveja! Falta de competência!

Senhor meu Deus entrego em tuas mãos meu gatinhos, por favor, leve-os para céu... Deixe-os esperando por mim.
Deus meu Deus... Esta doendo muito.



Obs.: Paulinha, Branquelo foram cortados aos pedaços. Eles eram pequenos e brincalhões e ainda amamentavam. Precisavam ver o desespero da mãe deles.
Bruninho tinha uns dois anos, lindo e amoroso... Tinha uma marca no pescoço.
Um morreu dia 01.01.2012... O outro 02.01.2012 e o outro o Bruninho achamos ontem.
KHASSANDRA GREEN
Enviado por KHASSANDRA GREEN em 04/01/2012
Reeditado em 05/01/2012
Código do texto: T3422533